fbpx

Quer saber o que é Benchmarking? Então se prepare, pois, você acabou de encontrar o conteúdo perfeito.

Aqui eu irei te dizer tudo o que você precisa saber sobre o tema, desde o significado, atém como você pode desenvolver um para a sua empresa começando hoje mesmo.

Vamos lá?

O que é benchmarking?

Vamos imaginar que você seja o proprietário de uma sorveteria de bairro, e atualmente você está tendo baixos lucros e resultados no seu negócio.

o que é Benchmarking

Certo dia, você fica sabendo que no bairro vizinho existe uma sorveteria concorrente que é cheia de glamour, com filas e qualquer horário do dia e com lucros bem maiores que o seu.

Assim, a partir do momento que você tenta entender o que a outra sorveteria está fazendo e tenta incorporar as mesmas ideias na sua, você estará fazendo o Benchmarking.

De maneira resumida, esse é um processo que tem como foco estudar o concorrente.

Esse estudo acontece de maneira profunda com o objetivo de entender as melhores práticas do concorrente e quais podem ser replicadas dentro da sua empresa.

Por fim, é importante que saiba que ela é uma ferramenta valiosa que consegue responder a diversas questões como, por exemplo:

  • Como eu estou me saindo se comparado aos meus concorrentes?
  • Os resultados que tenho agora são satisfatórios?
  • Como eu posso aumentar a produtividade do meu negócio?

Essa é uma prática muito comum entre as empresas e foi desenvolvida pela primeira vez pela Xerox.

A empresa norte-americana comprava equipamentos das concorrentes para desmontar e entender como eles eram capazes de comercializar produtos com preços menores que os dele.

A partir desses atos a empresa acabou definindo Benchmarking como um processo de mensurar de maneira contínua os serviços e produtos da empresa com os mais fortes concorrentes e conhecidos como líderes do segmento.

Conheça os principais tipos de benchmarking

#1 – Competitivo:

Aqui o principal ponto é os resultados dos concorrentes.

O foco é conseguir melhorar os métodos e também as características básicas de produtos para poder alcançar a concorrência e assim ultrapassar.

Esse é o estudo mais comum que as empresas acabam solicitando.

Se a sua empresa oferece um serviço de marketing digital você precisa avaliar quais são os serviços que os concorrentes estão oferecendo.

Por quê?

Porque aqui não basta saber somente o pacote que os concorrentes estão oferecendo. O ideal é que você entenda como o serviço é executado, se os clientes estão felizes com o serviço ou produto.

#2 – Benchmarking – Genérico:

Aqui dentro desse processo as empresas envolvidas têm a mesma função ou processos parecidos, não importante a diferença entre elas.

Dentre esses processos podem ser a análise de produção em que é avaliada desde a entrega do pedido para desenvolvimento na indústria até a entrega do produto para o cliente.

#3 – Funcional:

Dentro desse modelo de Benchmarking a empresa que está sendo pesquisada não precisa ser dentro do mesmo segmento.

O principal foco aqui é conseguir entender as técnicas utilizadas para serem desenvolvidas nos tipos de organização.

Um exemplo bem simples é quando uma empresa irá aplicar um teste em seus funcionários e deseja saber como as outras empresas aplicam também.

Nesse caso não haverá cópia do procedimento, mas sim aprender como funciona o conceito para a aplicação do teste.

#4 – Benchmarking – Interno:

A empresa utiliza como principal ponto de referência os processos que acontecem de maneira interna na empresa.

Esse processo é bem comum quando uma organização decide implantar boas práticas de negócio em uma filial da sua empresa.

A equipe que cuida da gestão de pessoas, normalmente os recursos humanos, pode aplicar o estudo entre os grupos.

Assim, você pode entender melhor quais são os comportamentos e os métodos que realmente deram resultados.

#5 – Reciprocidade:

Esse é um processo que foca em empresas que não são concorrentes e focam nas melhores práticas onde elas não são encontradas dentro do próprio setor.

o que é Benchmarking

Portanto, é uma forma de Benchmarking realizada por grupos de várias instituições estudando sempre um determinado serviço, processo e produto para que possa compartilhar os diversos conhecimentos e resolver problemas em comum.

Entenda os princípios dentro do Benchmarking

Para que você possa realizar todos os modelos de Benchmarking é necessário que saiba mais do que coletar dados e compará-los.

Portanto, é fundamental que você mantenha alguns princípios éticos, para que possa garantir não somente os passos corretamente, mas também os resultados.

Abaixo irei te mostrar alguns princípios essenciais:

#1 – Legalidade:

É mais que fundamental que os dados que a sua empresa conseguir, sejam obtidos de maneira transparente e legal.

Caso seja necessário solicitar para uma empresa, é necessário então começar a tomar cuidado com a discussão de manipulação do mercado e também os preços.

#2 – Benchmarking – Troca:

As empresas precisam estar dispostas em compartilhar os dados e as informações necessárias.

Pensando assim, o Benchmarking precisa ser compreendido como uma ótima técnica utilizada para parceria, de maneira recíproca, sem o medo de que a empresa que está pedindo os dados possa ultrapassar a outra, detentora dos dados.

#3 – Confidencialidade:

Qualquer informação que é cedida com o foco no Benchmarking deve ter SOMENTE a finalidade de estudo, desenvolvimento e aprendizado.

Portanto, prejudicar os concorrentes não é nada ético e, assim, a confidencialidade é fundamental.

Claro, se o empreendimento aceitar a divulgação dos dados, você pode divulgá-los, porém, se isso não acontecer, é necessário mantê-los ocultos.

#4 – Contato:

Para que você possa melhorar os seus resultados, é fundamental que os dados circulem somente dentro dos contatos de Benchmarking.

Portanto, a seleção de profissionais que devem partir de ambas as empresas, faz com que as informações obtidas não sejam vazadas e garantem um bom atendimento aos dados que foram coletados.

#5 – Preparação:

Conseguir apresentar uma boa preparação é fundamental para que você possa aproveitar ao máximo o que o Benchmarking tem a oferecer.

Saber e entender quais dados serão necessários, porque são importantes e como eles serão usados são itens essenciais para que você possa aproveitar ao máximo essa técnica.

Principais vantagens do Benchmarking:

#1 – Compreender a sua empresa:

O Benchmarking consegue te oferecer uma boa perspectiva de onde a sua empresa se encontra até onde ela deseja chegar.

Assim, o maior desafio é entender o porquê as melhores empresas se encontram em um determinado lugar e, assim, diminuir a distância entre os concorrentes e a sua marca.

#2 – Diminuição de erros:

Quando você utiliza o Benchmarking você consegue compreender se a sua empresa está dentro do grupo de empresas que obtêm as melhores práticas dentro do mercado de atuação.

Esse ato consegue mostrar para você quais são as melhorias que o seu negócio precisa para que você consiga obter os melhores resultados e que tome decisões mais eficazes.

Quando você elimina erros que foram cometidos pela concorrência, você consegue garantir uma vantagem competitiva.

#3 – Compreender melhor o mercado:

Como mencionei anteriormente, o Benchmarking tem como foco estudar a concorrência como uma estratégia para identifica como as suas práticas estão sendo desenvolvidas e quais são os principais pontos negativos.

Benchmarking

A intenção aqui é que você seja capaz de avaliar bem o mercado em que se encontra, partindo sempre de uma comparação com os principais concorrentes.

#4 – Melhora o nível da sua empresa:

Outro objetivo do Benchmarking é conseguir te ajudar a identificar os processos internos que precisam ser melhorados.

Diversas empresas coletam informações sobre a sua maneira de atuar diante do segmento em que a empresa se encontra.

Dentro de diferentes etapas, isso pode ajudar a identificar quais são as áreas do seu negócio que precisam ser fortalecidas.

Passo a passo de como fazer um Benchmarking

#1 – Comece analisando a sua empresa:

Comece aqui identificando os processos ou mesmo práticas em que a sua empresa necessita melhorar e comece a investir nos profissionais que podem elevar a qualidade desse setor.

É fundamental que você analise como a sua equipe está envolvida dentro da sua empresa, como, por exemplo, se eles sabem quais são as principais metas da empresa.

Alguns pontos que você pode analisar é:

  • Marketing digital;
  • Tecnologia;
  • Qualidade de vida no trabalho;
  • Gestão de pessoas;
  • Design;
  • Prazo de entrega;
  • Logística, etc.

#2 – Selecione os seus concorrentes:

Aqui você terá uma escolha bem particular, portanto, não cabe a mim, dizer o que você precisa fazer.

A única coisa que eu posso lhe sugerir é que escolha de uma até três empresas para que possa coletar dados que considera importante para a sua empresa, campanha ou marca.

Vale lembrar, como mencionei anteriormente, que as empresas não precisam estar dentro do seu segmento.

Ou seja, você pode implantar algumas técnicas de uma empresa de sorvetes na sua loja de roupas, se o número de vendas deles são significativos.

Portanto, aqui não existe nenhuma regra.

Por que eu sugeri três concorrentes? Porque mais do que isso você pode ter o seu foco nos objetivos prejudicados. São muitos números, técnicas e dados para serem verificados.

Um bom Benchmarking é realizado com toda dedicação e atenção, pois, tem mais a ver com a capacidade de analisar do que uma coleção de informações e números que acabam se perdendo.

#3 – Quais indicativos de performance merecem atenção:

Está na hora de você descobrir quais são os indicativos de performance na sua empresa que irá precisar de maior atenção.

Aqui podem ser as métricas financeiras e também a de qualidade ou mesmo as estratégias adotadas pelas outras empresas.

O ideal é que você escolha modelos de sejam fáceis de analisar e consiga ensinar algo novo para você ao invés de apenas monitorar.

Alguns exemplos de indicativos de performance são:

  • Taxa de conversão;
  • Leads qualificados;
  • Taxa de crescimento dos clientes, etc.

#4 – Obtenha os dados para serem analisados:

Depois de reunir todos os dados que você precisa, você pode começar a comparar com as informações obtidas na sua análise interna, onde foi realizada no primeiro passo.

Através dessa comparação, você tem a chance de identificar as possíveis lacunas de alguns desempenhos que estão presentes dentro do processo de produto da sua empresa.

Quando você identifica essas lacunas, você está pronto para poder seguir para os próximos passos.

#5 – Compare os dados e as informações que foram coletadas:

Depois de fazer todas as comparações, você pode começar a reunir todas as informações que foram possíveis coletar.

Portanto, está na hora de você colocar em ação o Benchmarking, entendendo como é possível construir boas bases mais sólidas para a sua empresa através de técnicas que foram encontradas na outra empresa.

Benchmarking o que é

O ideal é que você guarde tudo o que for de mais relevante para os seus resultados e descarte todo o resto, para não lidar com o excesso de informação.

Você verá que algumas informações irão te ajudar a prever alguns resultados e entender até onde a sua empresa pode chegar com determinado comportamento.

Não esqueça que quanto mais enxuto for o seu Benchmarking, mais simples e rápido será a sua interpretação diante das informações que foram coletadas.

#6– Comece a detectar os pontos baixos e altos da empresa:

Agora você precisa desenvolver alguns relatórios com as informações com o foco em poder melhorar os seus resultados e as suas estratégias de atuação.

Claro, o ideal é que sejam relatórios que sejam elaborados com uma frequência significativa.

Portanto, avalie quais são os pontos altos da sua pesquisa, como as oportunidades que foram encontradas em outras empresas.

Não deixe de fazer o mesmo pensando nos pontos baixos, como algumas informações que são falsas, fazendo com que a sua ideia seja prejudicada.

Ou você pode avaliar quais das estratégias encontradas são improváveis de serem implantadas no seu site.

Nesse caso você vai evitar um investimento desnecessário, onde não irá conseguir lucros.

Depois desse post tenho certeza que você tem tudo o que precisa para entender e começar a criar o seu próprio Benchmarking.

O interessante é que você pode desenvolver esse método sem importar qual é o tamanho da sua empresa, mas sim, de acordo com o foco e os objetivos que você pretende alcançar.

Assim, é fundamental seguir com atenção os passos e as ideias que pretende desenvolver.

Portanto, se em algum tópico tenha ficado alguma dúvida, deixe uma mensagem no espaço dos comentários para que eu possa lhe ajudar.

Grande abraço e até o próximo post.

(Visited 53 times, 1 visits today)

Tags: |

Veja os 8 passos para começar a empreender hoje mesmo.

Veja os 8 passos para começar a empreender hoje mesmo.

Veja o passo a passo para começar seu negócio agora mesmo!

Não enviamos spam. Seu e-mail está 100% seguro!

Sobre o Autor

Dan Reis
Dan Reis

Já trabalhei e estudei em diversas áreas, de química a tecnologia da informação, mas foi no fim de 2017 que me encontrei, descobri que o que eu gosto é empreendedorismo. Atuo desde então como empreendedor digital e minha vida mudou, mudou para melhor. Passei a fazer algo que gosto, ou melhor amo. Em 2019 percebi e me comprometi a compartilhar tudo o que eu aprendi (e ainda aprendo) para as pessoas que tem do mesmo desejo: Ser empreendedor.

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Este site utiliza Cookies e Tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência. Ao utilizar nosso site você concorda que está de acordo com a nossa Política de Privacidade.